Total de visualizações de página

domingo, 10 de abril de 2011

Coincidências

O que era para ser provisório, foi se alongando cada dia mais. Eu estava tomando conta de Bruce o filho de Marianna, há mais de seis meses. No início, ela levava ele para minha casa às 05:20 da manhã, para depois pegar o ônibus de 05:35. Mas na medida que o bebê crescia, obviamente ele ia ficando cada dia mais e mais pesado. Às vezes estava chovendo uma garoa fina, outras um "toró" danado. Lau compadeceu-se de Marianna e resolveu buscar Bruce na metade do caminho, depois os dois juntos iam pegar o ônibus que os levava até o metrô.


As coincidências que nos ligavam a Marianna eram muitas. A mãe de Lau morava em um bairro vizinho da mãe de Marianna. Lau e Marianna estudaram na mesma escola (em anos diferentes). Os dois também tinham a mesma profissão. Mas a maior coincidências de todas, ainda estava por vir. 

Marianna morava sozinha com o filho e frequentemente, havia algo para ser feito na casa. Uma torneira para trocar a bucha, o mato que crescia no lote sem parar, um portão que não abria, uma lata de azeitona para ser aberta (Marianna amava azeitonas, devorava um vidro sozinha numa sentada só).

Marianna e Lau estavam indo para o trabalho e o ônibus como sempre estava lotado.

- Eu detesto andar de ônibus, sempre cheio, esse povo pisando no meu pé, tem sempre um engraçadinho "relando" em mim. 

- Fica calma Marianna. Hoje ainda é segunda-feira. 

- "Quando eu tiver dinheiro, quando eu tiver dinheiro, eu prometo a mim mesmo que eu só vou andar de taxi". Cantarolou Marianna.

- Que raio de música é essa?

- Ultraje a Rigor, você nunca ouviu?



- Eu conheço Ultraje, mas nunca ouvi essa música. Você tem sempre uma trilha sonora prá tudo.

- Quase sempre, Lau. Quase sempre...

- Sabe Marianna, você precisa arrumar um namorado. 

- Não me faça rir. Que cara, vai querer namorar uma mulher que já foi casada e ainda por cima tem um filho?

- Mas você ainda é nova e bonita. Que cara não ia querer uma gata como você de olhos verdes?

- Isso é uma grande ironia do destino. Um dia eu estava na casa do meu amigo Beto Preto, quando a ex dele chegou aprontando o maior barraco, falando que eu estava interessada nele...

- E aí?

- Aí que eu pensei que com tanto rapaz solteiro no mundo, porque eu ia me interessar por um cara com uma ex e um filho, não que ele fosse feio e coisa e tal. 

- Eu vou te apresentar meu cunhado, irmão da Bia, Marianna. Ele gosta de rock assim como você. Acho que vocês dois dariam um belo casal.

- Do jeito que você fala até parece que eu estou precisando desesperadamente de um homem.

- Só que eu não posso sair da minha casa, toda vez que você quiser comer azeitona.

- Tudo bem, Lau eu não te chamo mais para me ajudar.

Nesse momento o ônibus parou.

- O que aconteceu aí seu "Motô"? Gritou um passageiro enfurecido.

- O ônibus quebrou pessoal, vocês vão ter que pegar outro. Respondeu o motorista.

Um a um, os passageiros foram descendo do ônibus.

- Um ótimo jeito para começar a semana. Era só o que faltava, eu vou chegar atrasada lá no serviço. Falou Marianna, começando a ficar zangada.

- Meu cunhado esta semana, está trabalhando de manhã. Eu vou ligar para ele e pedir para ele buscar a gente.

- Isso é que é vontade de me "desencalhar". Deixa isso prá lá, daqui a pouco passa outro ônibus.

Mas Lau foi até o orelhão que havia na rua e ligou para meu irmão.

- Isso mesmo, o ônibus quebrou, aqui perto da Lagoa. Em quanto tempo você chega aqui? A gente te espera. Eu estou com uma amiga minha que quero que você conheça, até mais tchau!

Outros ônibus, tão lotados quanto o que quebrou, vieram. Os demais passageiros embarcaram, apenas Marianna e Lau ficaram. 

- Nossa seu cunhado está demorando muito, em que bairro ele mora?

- Ele mora no DB.

- Eu já fui nesse bairro. Já faz muito tempo, em uma festa. Eu namorava com um cara chamado Fernando. Nós mofamos no ponto, depois da festa tivemos que andar demais.

Nesse momento, um carro com os vidros escuros chega e retorna um pouco mais adiante, de onde Marianna e Lau estavam. 

- É ele.

- Até que enfim. 

Quando o motorista desceu do carro, Marianna não acreditou. Seus olhos só podiam estar lhe pregando uma peça. Mas era ele. O queixo dela caiu.


- Eu não acredito! Não pode ser você! É muita coincidência...

50 comentários:

  1. Curiosa a maneira como a relação entre voc~e a Marianna se estreitou e como haviam tantas coincidências.
    História pautada perfeitamente, Bia. Gosto demais daqui...

    ResponderExcluir
  2. aah. simplesmente amei o texto, o blog, o jeito como você escreve.; enfim. tudo. já estou seguindo o blog até *)

    ResponderExcluir
  3. adooorei, me envolveu na história.

    ResponderExcluir
  4. Será que a Marianna é uma espécie de "alter-ego"? Sua existência é a válvula propulsora para que as aventuras aconteçam... Gosto da sua maneira de escrever! Abraços...

    ResponderExcluir
  5. Me envolveu muito a história.
    estamos seguindo. e voltaremos aqui mais vezes.

    ResponderExcluir
  6. Essa hisroria é verdadeira? se for, puta coincidencia mesmo, bacana a referencia a musica do ultraje, não é uma das mais conhecidas deles. http://pedropyratero.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. aaai fiquei curiosa, quem será???
    será aquele carinha com quem ela ficou em um post passado? que tinha namorada??
    Curiosa para saber *-*
    adoro essa história :D

    ResponderExcluir
  8. O Carlinhos? Não Vanessa, não ainda...

    ResponderExcluir
  9. Gostei do texto!
    bem escrito e me colocou dentro da história!

    abraço

    ResponderExcluir
  10. Adorei. Quero a continuação logo :(
    Aproveitando o titulo, acredito muito em coinscidências, pois aconteceram muitas em minha vida. Tenho certeza que me identifiquei com a história por um pouco de culpa do titulo rs.
    Tem vagas abertas para a equipe do blog amor, confere lá!
    http://prontaparacrescer.co.cc

    ResponderExcluir
  11. Bia, mais um belo texto... Parece que vc mistura realidades vividas e ficcão, eu também faço isso ás vezes!
    Parabens amiga!

    ResponderExcluir
  12. Olha eu aqui p/ ler mais uma saga de Marianna
    ou melhor a continuação..
    e por falar nisso...
    vc conseguiu me deixar mais curiosa ainda com esse encerramento..
    espero ansiosa pelo próximo post...

    Q sua semana seja abençoada..
    bjusss

    ResponderExcluir
  13. É ele, sim, éééééééé!

    Ou ela.

    História envolvente, que não acaba nunca, essa Marianna é tipo uma Highlander ou sei-lá-o-quê.

    Minha bisavô também adorava o Ultraje a Rigor, querida amiga blogueira.

    Rs.

    Bj.

    F.

    ResponderExcluir
  14. Hahaha, sou novo aqui e fiquei perdido. Acho que tenho que ler o resntante dos posts para ver o começo e entender um pouco o que se passa.

    Voltarei, com certeza.

    ResponderExcluir
  15. rsrsrs quem será que era?
    Fiquei curiosa rsrsrs
    Até!!

    ResponderExcluir
  16. Curiosa. Vai ter continuação? Amei o blog e o post ^^ .

    ResponderExcluir
  17. Nosso, fiquei positivamente surpresa por aqui. Adorei sua história, adoro quando encontro alguém com a capacidade de escrever pequenos contos com ritmo - desses que nos prendem exatamente pela simplicidade.

    Parabéns, você tem talento. E agora vou ser obrigada a voltar para ver o resto da história!

    Abraços
    Lílian Buzzetto
    do Mulherices

    ResponderExcluir
  18. Meu deus do céu, rs, quem é ELE? Acho que só boei nessa parte, rs. Mas no resumo da história gostei muito tanto que até mergulhei um pouco na imaginação tentando dar um rosto para Mariana e adivinhar qual música do Ultraje ela estava ouvindo.

    ResponderExcluir
  19. Nossa, que escrita maravilhosa, que desenvoltura! O destino tem dessas. ele adora nos pregar uma peça. Marianna de sorte, hein? O destino foi bacana com ela. Agora ela não precisará mais de Lau pra abrir latas de azeitonas. rs

    http://pousodoconto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  20. Fiquei boiando um pouco, ams deu para entender direito. Agora senti um pouquinho de inveja: você consegue escrever em seu texto algo que eu tenho muita dificuldade, UM DIÁLOGO DECENTE! Geralmente os meus ficam meio retardados, então os evito. Gostei da maneira como você retratou o cotidiano, mas agora dá licença que vou ler uns posts anteriores que me deu uma curiosidade de conhecer melhor a história...

    http://ovalordaminhainsanidade.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  21. òtimo post, podemos fazer uma viagem na imaginação parabéns mesmo gostei

    ResponderExcluir
  22. ultraje!!!


    =D

    ps: desculpa por n ter comentado!

    ResponderExcluir
  23. É incrível como o mundo é capaz de dar voltas e nos por em situações inesperadas...
    Este final foi para deixar a gente sem ar!

    Muito bom!

    ;D

    ResponderExcluir
  24. MUITO BOM ESSE TEU TEXTO. E REALMENTE SÃO MUITAS COINCIDÊNCIAS. AH SIM... A FEITICEIRA VEM EM JULHO.

    ResponderExcluir
  25. Olha.... Narrativa BOA Hein.... Fiquei até a última linha com interesse e ainda na expectativa da continuação do conto..

    PARABÉNS!

    ResponderExcluir
  26. Uiii, me deu arrepio, rs.
    Amo histórias nesses estilo ^^

    PS: Alguns trechos lembraram minha vida, rs. Um passado bem "presente"

    ResponderExcluir
  27. Mariana e suas trajetórias pela vida. É uma personagem incrivel, não resta duvida.

    ResponderExcluir
  28. Ual hein! Primeiramente parabéns, pois você escreve muito bem. Marianna trilhando um longo caminho nessa vida, pelo que vi foram tantas coicidencias...

    Como Andre falou: "Parece que vc mistura realidades vividas e ficcão" Realmente parece... rs

    Abraço e sucesso! ;D

    ResponderExcluir
  29. A historia é boa, continue a escrever... e sua alma um dia será livre dos significados...

    ResponderExcluir
  30. algumas coisas acontecem porque nem poderiam ser evitadas...

    ResponderExcluir
  31. Acho até engraçado quando nso deparamos com situações que nos fazem ficar sem reação...

    ResponderExcluir
  32. Gostei diálogos bem estruturados e bastante críveis em seu teor..

    ResponderExcluir
  33. me desculpe a demora...
    amei seu blog... *_*
    farei sempre uma visitinha.. ok?
    seguindo

    ResponderExcluir
  34. ótimo texto e magnífica história
    fiquei apaixonado pelo jeito como vc escreve

    ResponderExcluir
  35. A vida prega muitas peças. Ninguém pode prever o destino.

    http://duo-postal.blogspot.com

    ResponderExcluir
  36. Olá, Bia.É muito peculiar a forma como você escreve, essa mistura que faz com momentos reais e fictícios é sensacional, por essas e outras indiquei alguns selos para você, depois dê uma passada lá no blog para pegá-los. Estou postando e comentando com menos frequÊncia pois o tempo está curto, mas prometo que voltarei com mais calma para comentar nos outros belos posts que redige.

    ResponderExcluir
  37. bem escrito... será q rolou alguma tipo de escape por meio do texto? :D
    abraços

    ResponderExcluir
  38. Como você consegue encaixar sempre tão bem a trilha sonora em seus textos, chego até a "ouvir" a música enquanto leio.

    ResponderExcluir
  39. ola..Nossa você escreve muito bem, adorei a sutileza e o desencadear dos fatos..
    Vou ler os post antigos me inteirar da vida de " marianna"..

    ps: obrigada pela visita ao meu blog..
    Volte sempre..

    abraços..

    http://papiando-adoidado.blogspot.com

    ResponderExcluir
  40. e assim continua a epopei de Mariana !
    Voce acredita que eu tava ouvindo ultraje hoje ?
    kkkk
    beijo.

    não desaparece !

    http://universovonserran.blogspot.com

    ResponderExcluir
  41. TEM COISAS QUE ACONTECEM PORQUE SÃO PRA SER

    ResponderExcluir
  42. Nossa! você é uma verdadeira escrito em em, eu não conseguiria escrever nem a metade, muito interessante bj

    ResponderExcluir
  43. Mais um post seu que leio e amo!
    Parabéns!

    espero vc
    http://villacosmetica.blogspot.com

    ResponderExcluir