Total de visualizações de página

terça-feira, 22 de março de 2011

Diálogo sob o céu de São Thomé das Letras

Marianna e César eram apenas mais um casal de jovens que se preparava para passar a noite sentados no Cruzeiro. César levou lanterna e um cobertor muito grosso. O vento parecia assobiar, mesmo sendo março estava muito frio. O copo de choconhaque aquecia as mãos de Marianna. Um pouco abaixo deles, alguns jovens tocavam violão. Cantavam "Tente outra vez" do Raul Seixas ao lado de uma fogueira. 


Marianna e César tiveram então o seguinte diálogo:

- O céu é lindo aqui. Eu nunca vi tanta estrela.

- Eu também não. Dá para ver até a poeira cósmica. Em São Paulo tem tanta poluição, tantos prédios, que às vezes até me esqueço que existe céu.

- O vento está muito frio, vai acabar atrapalhando meu cabelo. Será que nós vamos ver algum disco voador?

- Seu cabelo está lindo. Você acredita em disco voador?

- Eu vou responder sua pergunta, com outra pergunta. Você acredita que na nossa imensa galáxia, somente o nosso "planetinha" minúsculo é habitado?

- Olhando por esse lado, é muita pretensão nossa mesmo. Mas você acredita em vida inteligente?

- Até mais inteligente do que a nossa. Mas diferente do que a gente vê nos filmes de ficção científica.

- Olha Marianna uma estrela cadente! Faça um pedido!


- Essa já se foi, teremos que esperar a próxima.

- Se você pudesse pedir algo, o que pediria?

- Pediria para não ter uma vida medíocre.

- Que pedido estranho. Como assim ?  Uma "vida medíocre"?

- Eu tenho medo de que daqui há alguns anos, quando eu olhar para trás eu perceba que errei. Perceba que tudo que eu fiz, foi em vão. A verdade é que eu queria fazer algo que realmente valesse a pena.

- "Tudo vale a pena, quando a alma não é pequena"! Mas você já faz, você tem um emprego bom, com um bom salário. Tem um filho perfeito. Você é perfeita. Tem uma casa. Quantas pessoas você acha, que conseguem comprar sua própria casa com 23 anos?

- Financiada em 15 anos. Não se esqueça.

- Que seja!

- Sabe o que eu queria mesmo?

- O quê?

- Eu queria voltar a estudar.

- E por que não volta?

- Quem vai ficar com meu filho Bruce? Eu saio todo dia para trabalhar às 05:30 e chego às 19:00 horas. Meu filho fica com uma moça que mora lá perto de casa. Imagina se do trabalho, eu for para Faculdade? Eu vou chegar prá lá de meia-noite.

- Desse jeito, você nem ia ver seu filho direito. Ele ia estar sempre dormindo.

- O pior é quem estuda a noite, geralmente tem aulas nos sábados e muito trabalho para fazer nos domingos. Depois de quatro anos, meu filho vai me  perguntar: "Quem é você? Eu não te conheço!"

- Por que sua mãe não olha ele para você?

- Eu e minha mãe temos nossas diferenças.

- Mas é ela quem ficou com ele, para você vir para cá, não é mesmo?

- É verdade. Foi ela que insistiu para eu viajar. Para "recarregar as baterias". Mas você não entende...

- Olha, assim como você  eu só tenho o 2º grau. Não sou muito inteligente. Mas se você explicar eu posso tentar entender.

- Minha mãe sempre teve um tipo de comportamento que eu não gosto. Ela sempre foi muito autoritária. Se ela ficar com o Bruce para eu estudar, daqui a pouco ela vai querer mandar de novo em mim. Tudo tem que ser do jeito dela sempre. Não há dialogo.

- E o seu pai?

- Meu pai se separou dela, quando eu ia fazer 13 anos.

- E ele não pode ficar com o seu filho?

- Meu pai cada dia está com uma mulher diferente. Desde que ele se separou da minha mãe. Já arrumou umas sete mulheres, uma em cada ano. Hoje ele vive em uma pensão.

- Leva ele para morar com você. Assim ele vai ter onde morar e aproveita e cuida do neto dele.

- É uma ideia. Eu posso te contar uma coisa?

- Conta.

- É uma coisa que eu nunca contei para ninguém.

- Pode contar.

- Outro dia eu fui em um velório.


- Algum parente seu faleceu?

- Não. O cara que morreu foi assassinado brutalmente. Roubo seguido de morte.

- E como você conheceu esse cara?

- Ele organizava gincanas, quando eu era adolescente. As gincanas eram em prol das crianças carentes.

- Eu também participei de gincanas, lá em Santo André.

- Depois que as gincanas acabaram ele foi nomeado para um cargo de confiança na prefeitura da cidade onde eu morava. Ele era muito talentoso, assim ele foi feito Mestre de Cerimônias. Ele era gay e morava sozinho em uma casa grande, linda, parecia um sítio. Então um cara se aproximou dele e tal, só para matar e roubar. Barbarizaram o coitado.

- Hoje em dia é difícil saber em quem confiar.

- Mas eu cheguei no velório e encontrei um antigo professor meu.

- O professor que falou com você, para um dia conhecer São Thomé?

- Não. Esse era meu professor de física do 2º grau. Muito doido ele. O professor que eu encontrei foi meu professor de história do 1º grau. Seu nome é Antônio. Mas todos o chamavam de Ti Tonho. 

- E você foi apaixonada por ele?

- Não. Ele é gay também. Eu fui apaixonada pelo professor de matemática.

- Toda menina já gostou de um professor. Mas o que tem esse Ti Tonho?

- Ele estava com mais três amigos. Assim que ele me viu, ele correu, me deu um grande abraço apertado e me apresentou para os caras dizendo: "Essa é Marianna. A melhor aluna que eu já tive! A mais brilhante e inteligente" Então ele se virou e me perguntou: "E o que você anda fazendo da vida, se formou em quê?". Eu respondi que não tinha curso superior.

- E o que ele disse?

- Ele falou que era um desperdício eu ter parado de estudar, que eu tinha um futuro lindo pela frente. Eu quis morrer. Eu concluí a 8ª série em 1993. Nós estamos em 2002. Quase todos meus antigos colegas se formaram, alguns estão indo para a segunda graduação.

- Mas por que você se casou tão nova?

- Nem me pergunte. Foi a pior burrice da minha vida. Eu sempre gostei de estudar, nunca precisei estudar muito para passar. Os professores explicavam, eu prestava atenção e aprendia com facilidade. Depois fazia as provas e só tirava "notão". Isso no 1º grau. No 2º grau, eu caí na bebedeira, matava aula demais, me formei meio que "nas coxas". E seus pais? Eu falando de mim, sem parar, me fale um pouco sobre você.

- Não tem muito pra falar de mim. Meus pais morreram. Eu moro com meus três irmãos. Somos dois casais: Meu irmão Carlos tem 28 anos, depois eu César de 24, Cristiane de 23 e Cássia de 18 anos. Um cuida do outro. Todos nós trabalhamos. Eu trabalho em um grande hipermercado lá em Santo André. Estou de férias, resolvi vir para cá conhecer a cidade.


- Hipermercado deve pagar bem...

- Bem mal. Quando eu te conheci, lá no Vale das Borboletas, eu lembrei da minha irmã Cristiane. A gente só chama ela de Ane. Eu podia te chamar de Anna, o que você acha?

- Anna não. Me chama de Marianna.

- Marianna. Maria e Anna.

- Meu nome foi uma homenagem para minhas avós. Maria era minha avó materna. Anna era minha avó paterna.

- Será que a gente vai se encontrar de novo um dia?

- Provavelmente não.

- Mas nós poderíamos namorar...

- A distância? Nem pensar!

- Mas você é categórica, mesmo! Por que não?

- Porque os relacionamentos precisam de presença, de toque, de beijos e abraços...

- Eu prometo que te escrevo muitas cartas. 

- Mas acontece que eu não posso beijar cartas, você beija papel?

- Nunca tentei, mas para tudo tem a primeira vez.

- Eu acho que bebi muito choconhaque e fumei muito cigarro de palha também...

- O dia está amanhecendo...


Não tardou muito e o sol apareceu. Muito devagar, os primeiros raios surgiram no horizonte.  O céu que até então estava escuro foi clareando aos poucos e ficando avermelhado. Haviam poucas nuvens, o que contribuiu para que o espetáculo fosse ainda mais sublime. O sol era um presente de Deus, aquecendo a Terra e nascendo todos os dias, mesmo que uns não queiram, muitos querem: Ser felizes e fazerem os outros felizes também.

61 comentários:

  1. Sabe o que o seu texto me fez lembrar.. Daqueles filmes: "Antes do Amanhecer" e "Antes do por-do-sol".
    O que é ótimo.. já que estes filmes estão entre os meus preferidos!
    Acho que tudo vale ser tentado... ainda que parece improvável de dar certo.

    ;D

    ResponderExcluir
  2. Magnífico. Isso aconteceu mesmo né, ou foi viajem sua kkkk Até eu fiquei viajando principalmente nas imagens.
    Texto rico em detalhes, particularmente no que se refere ao que acontece fora do cenário (faculdade, mãe, filho).
    Parabéns

    ResponderExcluir
  3. Post com sabor cinematográfico!

    Passa lá no meu :P

    www.filosofandoonline.com.br

    ResponderExcluir
  4. muito envolvente seu texto! :D

    http://ouricouricado.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  5. Acho que se não tivessem as imagens, eu teria imaginado cenas bem parecidas. Texto muito bom, sem erros e com um quê de sentimento a mais nas entrelinhas. O trecho que achei mais lindo foi quando houve o pedido de namoro à distância e a resposta de que "poderia tentar", mesmo só por correspondência. Muito lindo mesmo, parabéns. Estou seguindo (: Beijo :*


    Me visite também: http://railmamedeiros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. no começo, pelo tamanho, fiquei morrendo de preguiça de ler
    ma fui viajando no texto e imaginando a cena, e quando percebi...tinha lido tudo e encantado
    parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Essas lindas palavras me lembraram alguém. parabéns pelo post

    ResponderExcluir
  8. Adoro os detalhes que você expõe nos seus textos, parabéns *-*

    ResponderExcluir
  9. Eu gosto das histórias de Marianna. Me fazem pensar na minha vida. Algumas vezes fico triste, mas com esse post fiquei animado. Acho que pelo final, desfecho.

    ResponderExcluir
  10. Li tudinho! *-* Esta perfeitamente bem escrito, consegui viajar imaginando...

    ResponderExcluir
  11. nossa, como outros colegas acima citaram. viajeii junto cm o texto. ótimo

    sou novo na area, e conto com sua presença em meu blog heinnn
    DESTILANDO VENENO!

    http://arthurzack.wordpress.com/

    obrigado!!

    ResponderExcluir
  12. Poxa, realmente muuito bom
    muito bem escrito!!!

    ResponderExcluir
  13. A vida é muito curta pra gente ficar se arrependendo por algo, sabe, porque nenhuma decisão precisa ser definitiva ao ponto de fechar as portas de oportunidades que todos tem direito a ter, não é mesmo? O que vale a pena é a gente ser feliz ou tentar pelo menos.

    ResponderExcluir
  14. desculpa ? pelo 'caloteira ' mas é o que aconteçe, eu te sigo bem antes desse aconteçido .
    sempre li seus post , mas enfim , eu mi entusiasmei mto por ter começado com a foto do RAUL sou fã , fui lendo adorei , parabens !

    ResponderExcluir
  15. Nossa que texto em ^^
    parabens tmb pelo blog

    http://www.papodebuteco.log7.net/
    olha la tmb ^^

    ResponderExcluir
  16. surpreendente, e ainda deixa com um toque de quero mais :X

    ResponderExcluir
  17. Como sempre uma surpresa ao ler seus textos.
    Fico encantada com a história, com as imagens entre os diálogos, com a forma pela qual você transparece os sentimentos ...

    Poderia ficar aqui falando um milhão de coisas, mas nada chegaria a altura do seu texto. Esse foi sem dúvidas, um dos melhores que já li.

    *Toda menina já se apaixonou por um professor HAHAHA esse pedaço me lembrou tanto aquele filme Ao Mestre com Carinho ;)

    ResponderExcluir
  18. Só pela foto do Raul já me deixou interessado. Parabéns pelo texto.

    http://boomnaweb.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  19. as aventuras de Mariana nos prendem e nos fazem sentir Mariana...sempre vendo.

    http://universovonserran.blogspot.com --- coragem pra dizer que errou !
    sigo e comento quem seguir e comentar

    ResponderExcluir
  20. Achei maravilhoso citar Raul e particularmente apreciei o diálogo viajante.
    Existem conversas tão significativas na vida da gente, que envolve coisas banais e importantes, medíocres e geniais, místicas e profanas... o todo humano em algumas poucas palavras juvenis. Curti.

    ResponderExcluir
  21. Amei a riqueza dos diálogos. São poucas pessoas que conseguem criar dialogos realmente bons :) Um dia eu chego lá.
    Adorei a história, principalmente a parte do pedido em namoro. Namorar a distância é bem complicado, mas não é o fim do mundo.

    Adorei aqui.
    Beijinhos :*

    ResponderExcluir
  22. Há tempos eu não acessava um blog tão bem formulado!!! Parabéns
    Taís
    http://historiasdocupidoburro.zip.net/

    ResponderExcluir
  23. que dialogo lindo!
    éh bom estar junto!

    ResponderExcluir
  24. Mariana cada vez mais nos conquista com sua vida, histórias e fatos. Grande abraço pra você.

    ResponderExcluir
  25. É bom escrever coisas de nossa vida no ponto de vista de uma história, deixa as coisas mais leves, mais coloridas. Ricas em detalhes e lembranças..... poético. Todos deveriam enxergar sua própria história com os olhos de um leitor facinado pela sua própria vida. Tudo seria muito mais bonito. Gostei!

    ResponderExcluir
  26. isso só afirma a frase que diz que se as coisas não deram certo é porque ainda não chegaram no fim...

    ResponderExcluir
  27. Bia vc é escritora mesmo, o texto esta bem escrito, com bastante detalhes, digno de um bom escritor.

    Abraço a vc.

    ResponderExcluir
  28. Bia, li o texto do início ao fim, e digo a você, que é um dos melhores que eu pode ver desde que entrei no mundo dos blogs.

    Estou lhe seguindo.

    ResponderExcluir
  29. Que LINDO esse texto. Realmente, não tem como não viajar lendo.
    Parabéns, pela escrita, pela criatividade e pelo talento!

    ResponderExcluir
  30. TEXTO INTERESSANTE. EU TB NÃO SOU MUITO DE NAMOROS A DISTANCIA NÃO, PORQUE CHEGA UMA HPRA EM QUE VC PRECISA DO TOQUE,E A OUTRA PESSOA NÃO ESTÁ LÁ.

    ResponderExcluir
  31. Adorei o seu blog! E já estou te seguindo...
    E muito obrigado pelos elogios e comentário no bolg da Nonna!
    Espero te ver na Cantina em breve...
    Abraços da Nonna Margherita!

    ResponderExcluir
  32. Grandeee.....brincadeira valeu a pena ler cada frase...resumindo a história até parece que tem muito de mim...tirando a parte que não me arrependo de ter casado cedo.
    Parabéns pelo BLog e pelo post.

    ResponderExcluir
  33. Perfeito capítulo, Bia.
    Ela está mesmo precisando de um amor novo, pra fundamentar uma vida novo. Mesmo com a recusa eu torço!

    ResponderExcluir
  34. santo andré é aqui perto ..
    adorei esse diálogo

    ResponderExcluir
  35. Gostei do modo como vc escreve e ilustra ao mesmo tempo com boas imagens.

    ResponderExcluir
  36. Gostei, ótima descrição de detalhes...

    Um diálogo normal, porém se olhado com profundidade tem um outro sentido.

    Raul *--*

    Beijos, Misunderstood

    ResponderExcluir
  37. Eu sei que já comentei aqui, mas não resisti.
    Achei este um momento muito importante a Marianna e reler me fez lembrar de um instante muito singular em minha vida também...

    Adorei!

    ;D

    ResponderExcluir
  38. É legal porque o texto te cativa do início ao fim *-*

    ResponderExcluir
  39. Realmente bem cinematográfico esse texto, o que me cativa muito.

    Abraço

    http://cinemaparceirodaeducacao.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  40. É tão especial assim, o céu de São Thomé das Letras?rs
    Ótimo post
    Abraços
    Leandro Andrade
    http://diariodeplantao.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  41. Noites estreladas promovem conversas reveladoras e muitas vezes uma revisão ao nosso passado.
    Sugerem perguntas, promovem questionamentos.
    Fazem com que repassamos nossa vida.
    Será que sugerem novos caminhos?
    Nossa consciência talvez encontre, se não as repostas, uma trilha para isso.

    ResponderExcluir
  42. é uma história e tanto... dá pra viajar mesmo no decorrer do dialogo. parabens

    ResponderExcluir
  43. seu texto é diferente mais facil de enteder
    bela historia parabéns

    http://pinguimsolar.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  44. HAHA mt Bom, Realmente, você viaja lendo ele,
    blog bem maneiro !

    ResponderExcluir
  45. Daria um filme...já pensou em publicar um livro? Precisa dar o primeiro passo ;)

    Bjusss

    ResponderExcluir
  46. essa viagem de marianna por são tomé das letras não acaba. vai acabar morando lá e ficando viciada em choconhaque! uma choconhacólotra.

    ResponderExcluir
  47. Foi um roteiro mistico com a ilustração
    Bom final de semana ;)

    ResponderExcluir
  48. Ando sumido de mim mesmo.

    Inda não me encontrei, nem sei...


    ..."I miss you, but I haven't met you yet"...

    ResponderExcluir
  49. Bem escrito , fácil de entender , bem bonito tambem

    ResponderExcluir
  50. Um excelente texto, muito bem elaborado.

    ResponderExcluir
  51. se não deu certo... é pq não chegou ao fim!

    ok!


    http://blogdocharque.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  52. É sempre bom quando se cria um personagem no qual as pessoas podem se identificar e dizer ``Oi, esse ai sou eu agora.`` rsrsrs É assim que vejo o caso dela pois sempre vejo muitas pessoas aqui dizendo que entendem bem o personagem. Parabéns por isso e pelo blog também
    beijosss

    ResponderExcluir
  53. Raulzito é sempre bom, parabéns por seus textos.

    ResponderExcluir
  54. Opa, salve Raul. Post sensacional!!
    http://boomnaweb.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  55. nossa, gostei muito do texto, sei estilo de escrita é envolvente fez até eu me desligar de tudo o que eu estava fazendo

    http://bemeublog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  56. Muito boa a forma com vc associa as imagens com cada parte do texto, acho eu não teria entrado na história de tal forma. Realmente adorei ler sua postagem. É difícil ter o tempo tanto bem recompensado. ^^

    ResponderExcluir
  57. Incrível a forma como você expressa os sentimentos das pessoas.

    ResponderExcluir
  58. VOLTEEEEEEEEEEEI...

    Tô vendo que São tomé das Letras foi uma virada em tanto na tua vida hein. rsrs... Acho que eu também me encantaria com aquele lugar. Tenho vontade de ir lá algum dia. rsrs...

    Beijos do Conde.

    ResponderExcluir
  59. Para você é fácil, Conde. Quando for a São Lourenço, reserve um tempinho e passe por lá. Garanto que você não vai se arrepender...

    ResponderExcluir