Total de visualizações de página

domingo, 20 de fevereiro de 2011

A escuridão

Dois anos, nove meses e dez dias. Esse foi o tempo que durou o casamento de Marianna. A verdade é que ela via no casamento um meio de fugir da casa da mãe, sempre tão exigente e crítica. Depois que saiu de casa, seu relacionamento com a mãe melhorou consideravelmente.

Os seis primeiros meses da união foram os melhores. Marianna e Paulo foram morar de aluguel em uma pequena kitnet. A grana era curta, porém, não faltava paixão. Marianna se esmerava na arrumação da casa, no preparo das refeições. Fazia todas as tarefas domésticas com dedicação, sem nunca reclamar. Marianna para agradar o marido, parou de beber e fumar.

Tudo começou a mudar, quando Marianna finalmente foi convocada para assumir seu cargo na empresa onde havia passado, através do Concurso que havia feito. Seu salário inicial era o dobro do salário do marido. Para alguns homens machistas, isso é semelhante a uma punhalada no coração. A partir daí a máscara de Paulo finalmente começou a cair. Ele se tornou ciumento  ao extremo. Um dia em que o casal saiu para curtir um show de rock, Marianna encontrou um conhecido que frequentava a Feirinha e conversou com ele por uns minutos, Paulo insatisfeito fechou a cara. Assim que ficaram a sós, começou o interrogatório:

- Quem é esse cara Marianna? Perguntou Paulo.

- É João, que eu conheço lá da Feirinha. Respondeu Marianna.

- E você já ficou com ele?

- Não fiquei, só conheço ele de vista.

- Aposto que você já ficou com ele e está mentindo pra mim.

A partir desse episódio Marianna não saiu mais com Paulo, para evitar maiores constrangimentos. Paulo por sua vez, continuou saindo à noite todo o fim de semana, deixando Marianna sozinha em casa.

Marianna ouvia no rádio a música “Agora eu sei” da banda Zero e cantava: “O tempo voa e agora eu sei, que só quiseram me enganar, tem gente boa que me fez sofrer, tem gente boa que me faz chorar”. A banda Zero era uma banda dos anos 80, que tinha um vocalista que possuía uma voz gutural chamado Guilherme Isnard.


Marianna apenas ia do trabalho  para casa e vice-versa. Pouco tempo depois Marianna resolveu sair do aluguel. Paulo deixou que Marianna escolhesse o lugar, sua única exigência era que o imóvel escolhido fosse uma casa e não um apartamento. Paulo não suportava a ideia de viver trancado como um passarinho preso. Naquela época, não havia o programa “Minha casa, minha vida”, mesmo assim Marianna conseguiu financiar, em quinze anos, a tão sonhada casa própria pela Caixa Econômica Federal. No entanto a casa ficava localizada em outra cidade, distante 35 km do local de trabalho de Marianna. Para chegar era necessário pegar dois ônibus e o metrô. Duas horas para ir e duas horas para voltar, de segunda a sexta-feira.


Se por um lado Paulo foi culpado pelo fim do casamento, Marianna tinha também sua parcela de culpa. A culpa dela, foi se transformar em outra pessoa. Sim, porque para evitar as discussões, ela se anulou, deixou de fazer o que gostava e de ser a pessoa pela qual Paulo se apaixonara. Os antigos amigos se afastaram. Marianna perdeu o contato com Charlotte, Natasha, Danilo, Michael e os Betos.

Para aplacar um pouco da solidão que sentia e para tentar salvar seu casamento, Marianna deu sua última cartada: Ela que sempre foi apaixonada com crianças, parou de tomar o anticoncepcional e engravidou. Em maio de 2001 seu filho nasceu. O nascimento do bebê foi uma das melhores alegrias que Marianna sentiu na vida. Marianna queria que seu filho se chamasse Pedro. Mas Paulo que havia feito artes marciais quando era solteiro, escolheu o nome de Bruce, em homenagem ao lutador Bruce Lee.


23 de dezembro de 2001: Marianna esperava Paulo voltar para casa. Ele havia dito que iria para a formatura de um dos seus irmãos. Cinco horas da manhã Paulo chegou bêbado, de coturno, calça jeans rasgada, camisa preta de banda de Rock. Um visual bem diferente de quem havia dito que iria para uma formatura. Revoltada, Marianna resolveu dar um basta em tudo:

- Se você acha que eu sou trouxa, você está enganado Paulo! Se você estivesse mesmo na formatura, você teria dormido na casa da sua mãe, almoçado por lá e vindo pra casa mais tarde. E ainda por cima vestindo essa roupa.

- Eu fui num show de Rock sim! Não te falei nada porque você ia reclamar.

- Eu estou cheia de ser passada pra trás. Chega pra mim! Se você acha que eu vou passar o Natal aqui com você desse jeito, você está enganado. Eu vou pegar o Bruce e vou para casa da minha mãe!

- Esse é o primeiro Natal do nosso filho e você não vai tirar ele daqui, pra levar para casa daquela sapatão que é sua mãe!

- Eu vou sim e você não vai me impedir...

Marianna virou as costas, para sair do quarto, nesse instante Paulo a puxou pelos cabelos e a jogou no chão. O que se seguiu foi uma sequência de chutes e pontapés. Marianna parecia não acreditar no que estava acontecendo, pois foi pega de surpresa, sua única reação era tentar proteger a cabeça. O restante de seu corpo foi atingido em todas as partes, Paulo parecia possuído. Não satisfeito em chutá-la violentamente, Paulo sentou-se sobre Marianna e passou a estrangulá-la. Marianna não conseguia respirar, não ouviu mais som, não via mais a luz, sentia apenas a escuridão da morte a envolvê-la. 

49 comentários:

  1. nossa, muito bom mesmo *-*
    fiquei com isso na cabeça kaspkaopskakos

    ResponderExcluir
  2. Poxa, nem tem muito o que dizer.... realmente trágico... e infelizmente tão comum... o mundo ainda é machista e tantas mulheres ainda se submetem em nome de algo que nem se sabe direito o que é, e que muitos chamam de amor... ah, se pudéssemos nos livrar de nosso passado triste, dos traumas... tão bom escrever, organizar as coisas, transformar, ressignificar, enfim... dias melhores virão para Matianna, pode ter certeza.

    Lindo post, como de costume.


    Abraços!




    Francorebel.

    ResponderExcluir
  3. Noss,

    pensei que ia ter final feliz...


    Muito bom texto

    curti pakas (y'


    //téh

    ResponderExcluir
  4. Nossa, Bia! A coisa tomou um rumo pesado. Não achei que o casamento fosse vingar, mas também não pensei nesse extremo...

    ResponderExcluir
  5. E você termina a história no climax... está tentando emprego na globo para as novelas? hahahahahaha

    Mas isso já aconteceu, Marianna está separada certo? Ou será que depois de muitos posts ela irá nos deixar?

    ResponderExcluir
  6. Um texto obscuro, mas a forma que você escreve o torna maravilhoso para ler do início ao fim, e as imagens dão um toque a mais no seu texto!

    http://allclassics.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Infelizmente ainda há pessoas que acreditam ser donas umas das outras e tentam impor isso a força.
    Maria da Penha nele!
    Belo texto como sempre.

    ResponderExcluir
  8. nussa! post bem tenso. tomara que paulo pague pelo que fez. tomara também que marianna tenha saído de casa sem voltar mais, ou com certeza essa surra não foi a única. e não seria ela também a única vítima da violência do bebum covarde e descontrolado.

    ResponderExcluir
  9. Muito trágico e comum...Enfim, vc se supera cada vez que eu venho aqui ler os seus textos...Vou te colocar na minha lista de blogs...xD

    Um beijo guria...

    M!sunderstood

    ResponderExcluir
  10. Nossa. Esse Paulo é um grande "F*#*¨@(*!".

    A espera do novo post! ;)
    Boa semana, se cuida!

    ResponderExcluir
  11. obrigado pela visita

    adicionei um link para o seu blog

    ResponderExcluir
  12. A Marianna ainda não se encontrou...saiu das garras da mãe opressora e caiu nas violentas mãos do marido que a enclausurou primeiramente no psicológico,até chegar ao extremo da agressão fisica....resta saber se ela vai se libertar,pois a separação não dá essa anistia.
    bjssssssssss :)

    ResponderExcluir
  13. De pensar que no inicio (quando ela o conheceu no ônibus) eu havia gostado do Paulo!!! =/

    ResponderExcluir
  14. obrigado.
    aproposito seu blog é incrivel

    ResponderExcluir
  15. Muito triste, mas bem escrito!
    Parabéns ;)

    ResponderExcluir
  16. Mesmo que se ame alguém, é muita estupidez casar-se assim, tão cedo. Ás vezes estamos com uma pessoa á dez anos, e ainda não conhecemos ela, quem dirá seis meses! O que posso dizer? Ela decidiu a própria vida. E se deu mal.
    Espero que ela não morra T.T pra poder dar uma reviravolta em sua vida.

    ResponderExcluir
  17. Meu Deus!
    Olha com que tipo de cara que ela se envolveu... e por motivos fracos...
    Fiquei curiosa em saber como ela vai ficar depois disto!

    ;D

    ResponderExcluir
  18. A Bia sua danadinha parabéns pelo porte tem um poder de escrita envolvente odeio posts longos mas o seu nos da curiosidade só achei que a mulher foi besta , ela não merecia morrer mas tipo ela teve o que cativou... e o marido dela podia ser menos agressivo e ter buscado formação na vida é sempre preciso procurar olhar pra frente crescer profissionalmente e pessoalmente o que a mulher em partes e ele não fez nada.

    adorei mesmo ...

    vem me visitar?
    INDO
    http://meumundinhoinsanowill.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  19. Muito bom seu texto e muito rico em detalhes.
    Você escreve muito bem...
    ... Maria de la Peña nele.

    Abraço, ótima temática.
    E visiteme:
    http://pensesequizer.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. triste hein! mas porra quando entrei não imaginava q ia ler algo tão bom! parabéns!

    se der http://aomenosoalivio.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  21. marianna e as musicas!!!

    será o fim????

    http://filosofossuicidas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  22. Nossa!
    E o pior de tudo é que isso é, talvez, mais frequente do que nós podemos imaginar...
    hmm, fiz um post sobre mentiras, caso se interesse o convite está feito.
    http://www.sprechstdu.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  23. Muuito bom seu texto, mas triste. parabens
    http://www.bigodefedido.com/

    ResponderExcluir
  24. Parabéns, incrível porém trágico ;/ kkk

    http://metamorfose-amudanca.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  25. POR ADOREI VOU SEGUIR SEU BLOG PARABENS.


    QUE O SENHOR TE ABENÇOE

    ResponderExcluir
  26. Aferr.. que cara idiotaaa...! Ele merece ir pra uma cadeia, virar mocinha e ser espancado até a morte!

    Nesse tempo que fiquei sem acompanhar a vida da Mari, ela mudou muito.. se tornou uma tôla, totalmente diferente daquela garota de 20 anos extremamente feliz que curtia sua vida.

    Ah, estou revoltado com ela! (Mega decepcionado)

    ResponderExcluir
  27. Nossa, que história é essa? Trágica mesmo, mas excelente.

    Estou te seguindo e espero sua visita.

    Bjos.

    http://poisonmandyfpb.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  28. Muito bom!!!
    Principalmente a parte da homenagem ao Bruce Lee.
    Show de bola.

    ResponderExcluir
  29. Gostei, muito bom! Apesar de ser trágico.
    -
    http://lollyoliver.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  30. que storia...cada vez mas envolvente...e brigas entre casais... violência familiar...e complicado...

    ResponderExcluir
  31. é... Não dá pra conhecer bem as pessoas mesmo, pois o íntimo delas só Deus sabe, mas ela poderia ter escolhido melhor né? Apesar de que o amor é cégo mesmo e as vezes essa cegueira nos prega peças!!!!

    ResponderExcluir
  32. É um absurdo ainda existir pessoas que batem em mulher. Vc escreve de uma maneira que vc nem sente o tempo quando está lendo ,parabéns, me senti vendo cada cena dessa históriografia, torço para um recomeço para a personagem.

    ResponderExcluir
  33. É assim que começam muitos casos de violencia domestica, não apenas o da Marianna. Vem de um lar opressor e o troca por outro tão opressor ou mais.

    ResponderExcluir
  34. Que zica, mas colocar o nome de Bruce foi foda!

    Ótimo texto!


    www.evilwill.com.br

    ResponderExcluir
  35. Adorei seu blog.
    Adoreii e amie o texto

    abraço

    http://rodrigobandasoficial.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  36. Lindo e trágico ao mesmo tempo. Ótimo Blog.

    ResponderExcluir
  37. Triste mas elucidador !!!

    um abraço

    Blog de otima qualidade !
    http://universovonserran.blogspot.com
    sigo e comento quem seguir e comentar

    ResponderExcluir
  38. Poxa vida, eu jurava que a criança chamava-se Bruce por causa do Dickinson do Iron Maiden! Passei looonge. Rsrsrs.
    E meu Deus, que marido é esse que ela arrumou... Mas Marianna sairá dessa. =) e espero que rápido!

    ResponderExcluir